sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

O palhaço e a polícia

      Ontem fui abordado por policiais militares que acompanhavam um bloco carnavalesco na Av. Afonso Pena de Belo Horizonte – MG. Único motivo, pasmem: ESTAR USANDO A CAMISA DO CORINGA!

      Chegaram a três, dois deles maiores do que eu. O menor aproxima bem perto de mim e já diz sem o menor pudor: Tira essa camisa e coloca do avesso”. (Isso mesmo, sem acrescentar uma palavra, olha o nível!). Eu não entendendo direito e não acreditando no absurdo que tinha ouvido, disse: como? Por quê?”. No que ele responde: o palhaço é uma afronta ao policial, você tem alguma tatuagem também?”. Eu retruco: isso não é um mero palhaço, é um personagem de quadrinhos, o Coringa”. Já me cortando, ele diz: não me interessa, para mim isso é um palhaço”. Eu não vejo assim”, respondo. Na hora, com eles te cercando, a adrenalina vai a mil e você até perde boa parte da sua linha de raciocínio, pois não interessava se era um palhaço ou se era qualquer outra coisa (desde que não seja uma indiscutível apologia e/ou incitação ao crime, obviamente), não deveria se quer ter argumentado sobre a ignorância dele em relação à peculiaridade que é um personagem específico. Bom, finalmente eu disse: olha, eu não vou virar a camisa e ficar andando como um molambo porque você quer”. Nisso um dos grandões chega gritando: me passa seu documento! Você tem passagem?”. Eu tirei, entreguei e ele quebrou a cara. Então ele disse a seguir: estamos só fazendo nosso trabalho, temos o direito de te abordar”. Eu respondi: ok, você tem o direito de me abordar e pedir o documento, mas não de me mandar virar a camisa do avesso”. Ele, já quase vindo para cima de mim, responde: você quer me ensinar a fazer meu trabalho?”. Eu respondo: não vou discutir com você, você escolhe quem abordar, e eu não estou negando isso, mas pedir documento e revistar é uma coisa, o que vocês estão pedindo é outra”. E ele continua: eu sou formado, você conhece direito, você estudou?”. (O cara se achando o pica das galáxias por ser um policial supostamente formado em Direito). Eu digo: conheço muito, cara, sei de trás para frente e também sou formado, mestre em Filosofia, mas isso nem vem ao caso”. Aí, ele começa a tentar se explicar: estamos pedindo isso porque se você ficar usando ela assim vai ser abordado toda hora, se você conhecesse um policial de perto saberia bem do que estou falando”. (Sim, o sujeito já julgou do nada que eu não tinha proximidade alguma com policiais). Outra coisa que nem compensava ter dito, mas na hora, já soltei: bom, eu não sei o que você está dizendo, mas meu pai e meu avô foram policiais, eles não agiam assim”. Ele tinha dado uns passos para trás, após eu dizer isso volta enfurecido: você conhece o nosso treinamento? Já esteve lá dentro? Sabe o que esses caras que usam palhaço fazem? Eu não sei se você está usando com essa intenção, mas teve gente que já morreu por isso!”. Olha o nível do treinamento da turminha! (Só depois que tive a devida clareza que na última frase dele estava me fazendo uma ameaça direta). Eu já com o sangue quente respondo: bom, se vocês são treinados para se preocuparem com alguém que simplesmente está com uma camisa de ‘palhaço’, eu vou te contar, viu! Aqui com certeza está acontecendo um monte de crimes e vocês perdendo tempo com uma camisa!”. Por incrível que pareça ele abaixa o tom de voz e diz: você está no seu direito, quer ficar com ela assim, fica, mas estamos avisando”. Eu respondi: bom, essa é a sua opinião, eu tenho outra, e se vocês quiserem me abordar, ok”. Nisso chega um quarto “elemento” (como eles gostam de falar) fardado – o terceiro, o outro grandão que estava acompanhando desde o início, nada disse –, e sem nem saber o que estava acontecendo repete, como um papagaio: que contato que você tem com a polícia? Por acaso sabe o que eles ensinam para a gente no treinamento?”. Respondo, por fim: Eu não sei se você ouviu, mas eu disse que meu pai e meu avô foram policiais, eu conheço a polícia e suas dependências bem de perto, mas eu não tenho mais nada a dizer não, meu caro, boa noite”. Ele responde de forma robótica, indo atrás dos outros que já estavam saindo: você não entende nada”.

      Cheguei ao local já no fim do evento, após a minha abordagem, já havia quase que mais policiais que gente, eles estavam fazendo aquelas rondas “toque de recolhida”, fiz questão de continuar com a camisa passeando entre eles. Sei que era arriscado, mas eu estava tão puto que dei umas quatro voltas ainda entre eles, questão de honra, se mais um chegasse a mim mandando virar a camisa eu iria dar voz de prisão nele por abuso de autoridade – sei que não daria em nada, perderia tempo mofando em uma companhia de polícia para abrir um B.O. inútil, isso na melhor das hipóteses, pois sabe-se lá qual seria a reação dele, seria uma exceção inominável se ele acatasse, é infinitamente mais provável o contrário, e ainda com uso de extrema violência e agressão, como temos visto, convenhamos. Teve uma hora que passei por aqueles que me abordaram, os ouvi de soslaio, dizendo: “o folgado ainda está desfilando”. Os caras chamam de “folgado” aqueles que se recusam a obedecer a seus mandos abusivos. De fato, não há conversa com fascistas. Eles não sabem o que é diálogo.

      No curto tempo que estive lá, os vi abordando várias pessoas, sempre jovens negros e pobres. Vi um deles tomar a latinha de tíner que um dos moleques estava cheirando, pisarem nela e mandar o garoto sumir da frente deles. (Queria os ver fazer isso com o filho do bacana nas áreas nobres da cidade, tomar o cigarro de maconha do playboy, pisar em cima e mandar desaparecer da frente dele aos empurrões, mas enfim, usuário pobre é traficante, até de tíner, que não é crime). Vi uma que foi um verdadeiro “cala a boca”: uns dez jovens, homens e mulheres, estavam indo embora cantando, eles colaram no grupo, mas eles continuaram a cantar, aí um dos policiais deu um berro: “todo mundo pra parede, porra!” – eles ficaram lá, naquela posição vexatória com as mãos na cabeça até quase na hora que saí, depois, os jovens foram embora calados e cabisbaixos. Por fim, começaram a rodar com as viaturas e as motos no meio do povo e a expulsar os vendedores ambulantes da rua.

      Pois é, que situação! Os caras não têm nem receio de afirmar que o treinamento deles é pautado por coisas desse tipo, tão ridículas e insignificantes. Eles veem o símbolo do palhaço como um touro vê a bandeira vermelha flamejante. Treinados para intimidar o cidadão e para cometerem abusos de autoridade como se fosse a coisa mais normal do mundo, em uma palavra, treinados para eliminar o inimigo, para a guerra. Por essas e várias outras a Polícia Militar tem que acabar! Não dá mais! É preciso uma polícia que não se julga acima do cidadão e que respeita as leis ao invés de criá-las ao bel prazer. Esse caso é mais uma das provas que não se trata de um “caso isolado”, eles disseram que são treinados para agir de tal forma com quem tem a figura de um palhaço. Mesmo que o símbolo do palhaço represente criminosos associados à morte de policiais, como todos sabem, eles não podem fazer nada em relação a isso, mesmo se o sujeito tatuar tal de todo o tamanho com esse objetivo. Isso é mais do que “despreparo”, é não ter condições mínimas para sair às ruas. Há um vídeo conhecido de um policial torturando um rapaz, raspando a tatuagem de palhaço dele com uma faca, esse é o ponto que pode chegar alguém que é treinado para agir como um cão-de-guarda, obedecendo cegamente um comando. E quanto ao “apelido”, só pegou como pegou por eles agirem assim. A mamãe não ensinou que a melhor forma de não deixar o apelido pegar é não ligar para o que o coleguinha diz.

      Antes que alguém argumente, já me antecipo na réplica, é claro que há exceções, sempre há, até no Inferno há. Certamente existe aquele policial que, mesmo ouvindo tudo o que seus colegas e superiores dizem sobre a figura do palhaço, não será estúpido o bastante para ficar abordando até quem está vestido de palhaço. Mas o problema aqui é o comprometimento, o fascismo explícito, o autoritarismo absurdo, que surge no próprio treinamento, os condicionando a fazer o que fizeram no meu caso (mesmo na eventualidade de nem todos seguirem). Que por sinal, como a gente vê dia após dia, poderia ter sido muito pior, poderia estar machucado agora ou mesmo morto, por não ter seguido as ordens abusivas deles, e provavelmente você que os defende a qualquer preço estaria numa hora dessas convicto, falando sem mais: “bem feito, bandido bom é bandido morto”. Mais uma vez, a única solução para a Polícia Militar é o seu fim.

      #ForaPMerda #DesmilitarizaçãoJá

Ps: Link do texto onde faço um breve resumo do que é a desmilitarização: “Desmilitarização já!”.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Um mergulho no céu negro e estrelado

Palavras para falar sobre uma pessoa especial serão sempre aquém, mas podem nos conduzir por metáforas

E se atingirmos o alvo, transformam-se em “palavras mágicas”, Accio, como um feitiço que traz o inalcançável para perto

Assim, o inefável pode não estar longe, pode-se mostrar diante de nós

Olhar nos seus olhos é como parar o tempo, um mergulho no céu negro e estrelado que nos prende por horas a fio

Nela coexiste a ação delicada e vândala, como dois lados da força, Yin Yang vivos e presentes em seu ser

Com a habilidade de uma vidente que lê mentes você conhece meus medos, meus detalhes, minhas lágrimas, meus risos

Não acredito no dito “ano novo, vida nova”, mas seres como você tem o poder de fazer o inverso ter sentido: “vida nova, ano novo”

Cada gesto seu eu tenho na memória como um antídoto, que fazem Sísifo continuar a subir a montanha

Por uma boa causa podemos experimentar o Ser em sua essência, o nada e o infinito

Até os animais reconhecem a força de sua alma. Gandhi tinha razão, pode-se julgar grandeza pela forma que se trata os animais, e completo: como eles nos respondem

Iluminada com o brilho de um anjo, me faz ver a vida de forma leve, que nos tira a “pedra do meio do caminho”

Se felicidade não existe, mas sim momentos felizes, faço minhas as palavras de Dostoiévski: “Meu Deus! Um momento de felicidade! Sim! Não será isso o bastante para preencher uma vida?” (Noites Brancas).


Ps: poema dedicado a Marcela Ellem Apolinário.

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Debate sobre desacato, tráfico de drogas e prisão ilegal

Debate que tive sobre esse vídeo, que mostra uma garota sendo presa ilegalmente, acusada de desacato (por ter falado mal da polícia no Facebook) e de tráfico de drogas. Tal aconteceu nessa mesma rede social, em uma página chamada “Faca na Caveira”. (Link no final do texto).

[Preferimos não expor o nome dos indivíduos, portanto, estão presentes apenas as iniciais abrindo cada fala. “EU”, Moisés Prado Sousa, são minhas respostas].

EU: Essa prisão, como quase todas feitas em "flagrante delito", foi ilegal. Mesmo antes da decisão recente do STJ ( https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2016/12/15/stj-decide-que-desacato-a-autoridade-nao-e-mais-crime.htm ), que muda o parecer sobre isso, desacato só era possível se direcionado ao servidor em "exercício de sua função", isto é, quando a ofensa se dirige a um indivíduo nominalmente, em serviço, falar mal de uma instituição pública, seja ela qual for, é garantido como um direito fundamental, pois se trata da liberdade de expressão (Art. 5º da CF). Quanto às drogas encontradas, a prisão dela é tão ilegal quanto, pois o real dono delas assumiu serem suas propriedades, além disso, eles basicamente a coagiram a produzir "provas" contra si mesmo, portanto, isso se trata de mais um dos milhares casos de abuso de autoridade praticados por esses "defensores do cidadão de bem", rs.

Z. V.: O problema dela foram as drogas que acharam na casa dela.

EU: Ora, mas o vídeo mostra claramente o marido assumindo que eram dele, inclusive dando detalhes! Qual era a prova que eles tinham que eram dela a não ser o fato de achar tais na casa do casal?

B. M.: Sobre pressão até eu assumiria. Aliás eu não, pq a polícia só se mete com analfabeto, sem dinheiro para advogado.

V. D. S.: Mas isto não afasta o crime de Difamação.

EU: Novamente, a difamação, para se caracterizar o crime, deve ser concreta, isso implica em dar nomes aos bois e demonstrar o prejuízo real.

P. H.: Moisés Prado Sousa vc não tem a mínima noção do que fala. E essa decisão do STJ é esdrúxula. É por isso que não respeitam a polícia e acontece esse tipo de situação. De brinde ainda vai puxar 5 a 15 anos ai pelo tráfico por conta da droga (esse papo de "ah eu não sabia" não cola). Tráfico é crime permanente. Não precisa de mandado pra entrar na casa. Não tem nada ilegal ai. À propósito qual sua formação? Bacharel em falar asneiras no Facebook? kkkk.

EU: Vc sabe o que é ARGUMENTO? É impressionante como o sujeito consegue escrever tanto sem apresentar se quer um argumento válido, só vemos falácias ad hominem encadeadas no comentário dele, chega a ser cômico! Mas enfim, não te interessa a minha formação, que por sinal, se eu fosse escrever aqui, provavelmente seria mais do que vc tem costume de ler. Se vc conhecesse o mínimo de Direito, saberia que a decisão do STJ passa a ser a maior diretriz via jurisprudência para julgar os demais casos, "esdrúxulo" seria se continuássemos vendo abuso de autoridade “respaldado” pela justiça, tendo como base uma lei caduca de 1940. Não se tem que "respeitar polícia", tem que se respeitar a LEI, ninguém está acima da lei. A Ditadura Militar acabou, ninguém te avisou não?!... Devido ao fato do policial ter produzido uma prova onde o marido dela assume ser o dono das drogas, dando detalhes sobre elas, basta juntar tal aos autos que a garota será absolvida. "Tráfico é crime permanente", hãn?! O que isso significa?! Todo crime pode deixar de o ser se nossos legisladores assim o fizerem. Cara, vc não conhece o básico do básico de como funciona um Estado! E é óbvio que não, a propriedade não pode ser violada por suspeita de tráfico, é sim necessário o mandado, ou, como prevê a lei, o flagrante delito de fato (não as merdas que esses imbecis fardados como os do vídeo fazem). Por fim, além de toda a ilegalidade que já mencionei e reitero, eles ainda cometeram o crime de expor a imagem dos suspeitos, isso sim implica no crime de difamação, injúria e outros possíveis mais.

D. M.: P. H., e vc? é bacharel que pra vir falar merda no facebook? Pelo que entendo, não precisa ter estudo pra isso. Essa menina do vídeo provavelmente não tem nenhum bacharelado e falou merda no facebook. Vc considerar algo como "esdruxulo" não te dá argumentos. Até pq... quem é vc??? pra mim, um bosta qualquer. É prisão ilegal pela coação em produzir provas contra si; é ilegal porque os pm divulgaram - difamação aconteceu aqui, já que a ofensa que ela fez não foi direcionada aos policiais, mas à instituição - já todo o constrangimento que ela poderia passar foi causado diretamente pelo cérebro magnífico de um mais um pm que nao sabe o que faz e resolveu gravar o próprio crime; é ilegal pq deu voz de prisão por tráfico: mas ela não estava traficando e outra pesssoa assumiu (ter drogas é diferente de comercializar drogas), tem muita coisa ilegal acontecendo mas o que mais me chamou atenção foi ESSES CARAS NÃO TINHAM MAIS NADA QUE FAZER? É FUNÇÃO DA PM BATER BOCA SOBRE POST NO FACEBOOK? Quer processar a mulher pelo que for? FAÇA! MAS NÃO GASTE MEU DINHEIRO COM BESTEIRAS DESSE TIPO. Se acha que é traficante, prende por isso e não cria caso. Tem tanto erro nessa "abordagem" e na divulgação que, certamente, essa mulher nem vai ser condenada a nada. E de repente até cabe uma indenização. Mas, como alguém disse aí nos comentários, os caras só abordam pessoas ignorantes dos próprios direitos, pobres, favelados, pretos, etc.. Ela nem vai procurar justiça. Não há justiça pra pobre.

V. L. M.: E eles vasculharam a casa dela com que mandato mesmo?

M. C.: É isso que dá! gente que defende bandido, bandido é.

EU: Vc está se referindo a todos que estão defendendo os policiais?

R. S.: Isso mesmo amigo, ótimas observações . Não sou contra a PM não , mas sou a a favor de uma PM que trabalhe de verdade em prol dá sociedade e não que fique procurando presepada , amostracaozinha expondo pessoas q não fedem nem cheira no mundo. Vai lá e prende droguinhas de usuário , mas e ae dos TF de vdd que estão lá fortemente armados eles prederam??? E os ladroes que estão por ae roubando pessoas de bem todos os dias , eles pegam??? Dificilmente pegam , pq estão na maioria das vezes preocupados em coagir e extorquir pessoas de bem . Não estou generalizando , mas muitos deles são bandidos fardados sim .

S. D.: Muito mimimi de advogadozinho de bandido. Por mim ainda faltou terem dado uma coça nela.

EU: "Por mim ainda faltou terem dado uma coça nela" - olha o nível da turminha!

G. F.: S. D., larga de ser ridículo além de sem escrupos ainda e imoral bater em mulher comédia quero ver e mano a mano sem arma sem farda.

D. M.: Quem diz que a policia devia ter "dado uma coça" nela, "quebrado o pau", etc. É BANDIDO. Ninguém tem o direito de bater em ninguém.

A.T. J.: Pessoal confundem.. a Polícia n Est pé bater ou pegar mano a mano.. não é orgulho..isso.. também prendemos sim traficantes, armas e etc.. mas devido a advogados que exercem a "lei" soltam.. quando uma pessoa tem 30 passagens pela polícia.. 30 vezes fizemos nosso trabalho.. muita teoria no Brasil e pouco prática.. os direitos deveriam existir primeiramente para o bem da sociedade e depois vir os direitos humanos é ainda dependendo do crime cometido.. infelizmente temos muitos policiais bandidos.. e em alguns estados isso é mais exacerbado.. infelizmente.. mas temos uma população folgada, sem educação que não sabe cumprir a coisa certa... Brasil.. tá foda.

EU: Bom, seja mais claro. Para começo de conversa, advogado não “solta” ninguém; se a prisão é ilegal e assim um juiz (e/ou a turma recursal) confirma ser o caso e emite seu julgamento, quem está errado são os policiais que fizeram a prisão de forma arbitrária e abusiva (e quantos inocentes não passam tempos presos até ter esse julgamento, sofrendo por causa de imbecis que não sabem o que fazem!). Se por “passagem” vc se refere a alguém que cumpriu a pena estipulada e agora está livre, o que vc quer?! Prisão perpétua para tais crimes (e ainda à revelia da lei)?! Estamos em um Estado de Direito. Por favor! E não é finalidade do Estado vingar. No mais, é evidente que alguém não pode ser preso simplesmente por seus antecedentes, é preciso novo crime... Cara, o que vc chama de “direito”? Pois o fim é exatamente esse! Quanto aos direitos humanos, vc já os leu? Eles devem ser a base para toda sociedade que se prese, amigo. Exceções é exatamente dar fim a tais!... O problema está já na natureza do treinamento militar para lidar com civis, berço de policiais bandidos e abusadores de sua autoridade, mas já me estendi demais nesse comentário, quem sabe depois voltamos nesse assunto da desmilitarização... “POPULAÇÃO FOLGADA”?! Como assim, brother?! Vc quer a Ditadura Militar de volta?! Que falem e façam apenas o que vc quer, gosta e aprova?! Que olhem para o chão quando um policial passar?! Cada coisa que aparece vinda dos membros dessa página que a gente não acredita!

P. T.: Resumindo esses polícias são CORRUPTOS mesmo.. a começar pelo comandante.

F. S.: Resumindo a lei só serve pra vagabundo né.

E. M. L. T.: E você nesse caso é defensor de bandido , também se deve ao fato de ser funcionário do crime.

EU: Vídeo “Bandido bom é bandido morto?” de Cauê Moura ( https://www.youtube.com/watch?v=GG-1N0U52vM )

N. V.: Os analfabetos em direito não entendem. Não adianta insistir.

J. M.: Quem defende bandido? É o que? Bandido.

M. Brisa.: Vc é um verme drogado que não representa nada para sociedade.

EU: Olha o nível nazista da turminha! Parabéns, M. Brisa, vc me conhece mais do que eu mesmo. (A propósito, curioso esse comentário vindo de um sujeito com o sobrenome de "Brisa" kkkkk).

N. R.: Esse Moisés e mais otario petista, gay afetado, querendo defender marginais, nem adianta descutir com um lixo assim, que protege aqueles que roubam e matam, a prova dele ser burro, e defender criminosos, e acreditar em socialismo (pelo que vi no perfil petista) so mais um lixo defendendo outros LIXOS!

L. H.: N. R., em primeiro lugar, não se chama alguém de "burro" e se escreve "descutir" em uma mesma frase; pega mal. Em segundo, se é verdade o que você disse sobre o Moisés Prado Sousa defender criminosos, cuidado: você pode precisar da defesa dele. Só nesse comentário, muito mal escrito por sinal, há uma sequência de crimes contra a honra (descritos no Código Penal) e discriminação quanto à orientação sexual. Criminoso é, neste momento, você.

EU: N. R., saiba que já levei o print do seu comentário à delegacia, vc irá responder cível e criminalmente pelo que disse; e não perca seu tempo apagando o perfil, tirei prints de tal tb, a polícia chegará à sua residência (se for necessário até através do IP) como se tivesse um mapa. E é bom vc começar a correr atrás de um advogado para defender esse mais novo BANDIDO, rs... Pois é, ser energúmeno, essa poderia ser sua história! Como não sou homossexual, não o denunciarei pela sua discriminação sexual, mas tenho vergonha alheia por ti, como vc é baixo, e quanto ao resto das merdas que alguém como vc vomitam (que também são crimes), me afetam menos do que um cachorro cagando no Japão. Bom, não há o que dIscutir com um sujeito assim. Está mais que demonstrado quem é o “burro” aqui, né?

E. N.: Bolsonaro2018 pra acabar com todos os Esquerdinhas de Iphone!!

L. H.: O único 2018 associado a Bolsonaro, que eu saiba, é o número de asneiras que ele fala por dia, quando fala pouco. Fora isso, não esperaríamos maior eloquência em comentário de um dos seus seguidores.

P. F.: Se a rede social e de propriedade dela (como ela mesma confirmou no face) a responsabilidade de todo conteúdo postado é estritamente dela, ou seja, até que se prove que foi de verdade a amiga dela que escreveu o desacato e a calunia (que são crimes previstas na lei), a responsabilidade é dela. E outra, se a droga é do marido dela, o mínimo que se deveria fazer era entrega-lo as autoridades competentes, do contrario ela esta comentendo crimes de obstrução da justica ou ate mesmo cumplicidade, não ha o que defender neste caso.

EU: Cara, a única surpresa verdadeira nos seus comentários é a sua incrível incapacidade de ler e compreender algo! No comentário eu demonstro que NÃO há caracterização de quaisquer crimes por parte dela e para isso AFIRMO que pode ser ela que tenha escrito tal... Quanto ao que vc diz de "obstruir a justiça", que não tem nada a ver com o caso na verdade, isso se refere a outra coisa, mas apenas a título de argumentação, ora, ela deu o celular do marido para os militares entrar em contato! Tem certeza que vc viu o vídeo?!

P. F.: Como é incrivel quando tais indivíduos que se acham tão intelectuais partem para ataques pessoais quando tem o argumento quebrado. Se você se diz mesmo advogado, favor interpretar de maneira correta qualquer comentário, visto que você é remunerado para fazer tal função. Falei de obstrução da justiça sim, porque o vídeo está em partes, ou seja, não tem como se afirmar o que houve ate ela entregar o celular e ligar para o marido (a não ser que você tenha o video na íntegra). E me referi a isso como um possível crime, assim como ela pode responder também cumplicidade (porque ela sabia que o marido traficava drogas e não o entregou para as autoridades, que você deve saber, como profissional do conhecedor da lei).

R. M.: Tomara que a Polícia tenha greve aqui também, ai o vagabundo vai ter liberdade para traficar, roubar e matar esses inúteis que adora rebaixar a PM.

M. D.: Só pra eu entender.... O dono da postagem, ao que parece, desconhece totalmente as funções da polícia judiciária, fases processuais e inquisitoriais e não sabe sobre ativismo judicial (não sabia que o STF podia revogar lei, tem que avisar o Planalto que estão divulgando o CP errado, pq ainda consta o artigo. 331 rs). Desconhece a lei 4898/65 que fala sobre abuso de autoridade. PM produzir prova ? Falta de noção juridica pensar que a PM tem o poder de soltar ou prender pessoas baseado no que eles julgam (fulano falou que é dele), sem que seja levado ao real detentor da competência do fato, que é a autoridade policial (delegado de polícia), responsável pelo primeiro controle de legalidade. Imaginem, se um suspeito assume um crime que não cometeu para resguardar o real autor, e a PM solta, julga e absolve.... Ou seja, já que ela disse que a droga não era dela, tal fato deve ser tido como verdade absoluta, não precisando nem de constar nos autos, podendo a própria PM julgar e absolve-la, sem necessidade de levar sequer ao conhecimento do promotor, juiz e da polícia civil , isso td pq ela disse que não era dela.... Infelizmente, por falar "juridiques", um monte de leigo acha que vc ta certo, quando na verdade falou algumas merdas. Pra ao dizer que tá tudo ruim, teve uma coisa ou outra que salvou.

EU: São cômicos esses comentários que tem uma escrita formal, ares de “inteligência”, mas no fim só diz abobrinha! rs... Vamos lá: primeiro, ONDE e QUANDO eu disse que o “STF revoga lei”?! Segundo, meu comentário é sobre a prática judiciária e suas respectivas diretrizes, i. e., a JURISPRUDÊNCIA. Ora, espero que vc saiba ao menos que o STF é a última turma recursal para esse tipo de processo em relação ao cidadão comum! Dessa forma, o peso da decisão do STF, e por UNANIMIDADE, tem o poder de conduzir a prática judiciária. Não se trata de “legislar”... Conheço bem essa lei, a propósito, os policiais em questão se enquadram em diversos itens. Certamente que podem produzir, como qualquer pessoa! Obviamente produzir prova não significa que serão eles que a levaram ao juiz (se vc entendeu isso, foi mais um absurdo que tirou da cartola). O vídeo é prova suficiente para processar os policiais por abuso de autoridade e difamação, assim como para absolver a garota do crime de tráfico de drogas. Terceiro, novamente, ONDE e QUANDO eu disse que foi a mera fala dela de que as drogas não a pertenciam que bastam para a absolvição ou que cabe aos militares julgarem?! (Embora saibamos que na prática boa parte deles “julga” e até condena à morte, diga-se de passagem). O vídeo não mostra outra evidência que ela estava traficando, salvo o fato de ter drogas na residência dela, além disso, o marido não apenas assume que são dele, mas as descreve. Só com isso ela não deveria ter sido presa, pois não houve flagrante de fato. Acusá-la via processo para posteriormente um juiz julgar é outra coisa (não obstante só com isso para acusar ser perca de tempo). A situação é tão bizarra que se essa lógica fosse seguida eles iriam prender até o avô doente de alguém se eventualmente o bisneto dele tivesse levado drogas para a casa, rs... Isso sem contar que pelo teor do vídeo muito provavelmente eles não tinham mandado para começo de conversa (vejam que o policial decide de supetão: “vamos fazer o seguinte, nós vamos entrar”, não parece atitude de quem está com mandado nas mãos, né?!). Finalmente, ter drogas e vender drogas são coisas distintas... Com a devida vênia, não posso dizer o mesmo sobre ti, pois do seu comentário não há nada que se salve. Quanto ao meu, se esses são todos os seus “argumentos” para tentar refutar tal, fico feliz!
  
Link: https://www.facebook.com/facanacaveiraon/videos/1864906523746131/

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Liberação da maconha

Um amigo (“FULANO”), ao ver um vídeo que mostrava um usuário de crack respondendo que sim, após ser perguntado se a maconha era um acesso para o crack, disse (segue nosso diálogo):

FULANO: “Digo NÃO à descriminalização da maconha!”.

EU: “Agora, álcool pode, né? kkkk... Ainda que essa de ‘porta de entrada’ fosse o caso – o que eu discordo, não há essa ligação necessária –, a proibição é um mal maior. (Antes que surjam as más línguas: não, não estou legislando em causa própria)”.

FULANO: “Então você acha que álcool pode, Moisés!? Como você prova que não há essa ligação necessária? Sua prova é filosófica? Por um acaso filosofia serve pra isso? Outra coisa é que preso bastante minhas amizades, ainda mais com pessoas que não se ‘entorpecem’ com maconha, já que você é uma delas.”.

EU: “Veja que eu termino a provocação com ‘né?’, logo, não é uma afirmação cabal, e não estou emitindo minha opinião sobre o álcool, a intenção é tão somente confrontar e/ou confirmar a sua. Nunca vi marcha ‘da família, por deus e pela proibição do álcool’, rs. Esse sim faz mais sentido colocar como ‘porta de entrada’ para outras drogas, mas, da mesma forma, não é algo necessário. Bom, se por prova filosófica você quer dizer lógica e racional, sim. Ora, se fosse o contrário, todos que usassem maconha necessariamente usariam o crack, e não é o caso. Além da prova empírica, conhecer diversas pessoas que só usam maconha, todas as estatísticas colocam a maconha como a droga (ilícita) mais utilizada, isso não faria sentido se a ligação com o crack fosse necessária; elas estariam no mesmo patamar. Penso ainda que, se a legalização da maconha ocorresse, essa ligação entre as drogas seria menor, pois além do local de compra ser outro, não faria parte da ‘aventura’ de experimentar algo proibido. Agora, o que temos com a ‘proibição’? (Entre aspas, pois como dizia o Gabriel Pensador: ‘se você quiser comprar é mais fácil que pão’). Uma guerra insana onde pessoas são mortas todos os dias, em conflito ou por balas perdidas (diga-se de passagem, essa guerra nos morros é ainda um dificultador para a desmilitarização da polícia), superlotação dos presídios por pessoas que não tem condições socioeconômicas e vão se arriscar no tráfico, policiais corruptos que tomam tal como uma oportunidade de enriquecimento, aumento do contrabando de armas, pois é preciso proteger o ‘negócio’, o que gera inclusive tortura, sequestros e assassinatos (inclusive de crianças) para manter a ordem, estigmatização dos usuários como criminosos, um super mercado em que o governo não ganha um centavo, entre outras coisas. Sem contar que com a maconha ilegal o sujeito nem sabe o quem tem misturado nela, o que pode fazer muito mais mal à saúde, que por sua vez, gera mais gastos ao erário . Finalmente, basta pegar os exemplos dos locais em que a maconha é legal, prova que o argumento da ‘instauração do caos’ é pura falácia. Lamento que você separe suas amizades com esse critério, eu conheço pessoas incríveis que são usuárias, a meu ver, esse é um dos preconceitos mais rasos, mas nesse quesito cada um sabe de si.”.

domingo, 25 de dezembro de 2016

Desmilitarização já!

       Fui perguntado de forma direta como acho que deve ser feita a desmilitarização da polícia militar no Brasil. Respondi assim:

       De forma imediata, por nossos governantes e legisladores, como inclusive pediu o Conselho de Direitos Humanos da ONU. Se a intenção de sua pergunta é mais no sentido do que consiste a desmilitarização, aí se trata de um tema que daria algumas páginas, ainda mais levando em conta o tamanho do Brasil e sua diversidade, mas podemos resumir da seguinte forma: desmilitarizar é humanizar o policial, é colocá-lo no mesmo patamar de qualquer outro cidadão, é não treiná-lo para eliminar o inimigo, como se estivesse em uma guerra, é conhecer o lugar dele e respeitar todo registro de imprensa (amador ou profissional), é saber não vingar uma ofensa, não agredir, não torturar (repetindo o ambiente que foram formados), é acabar com a obediência cega à hierarquia, dando assim mais autonomia para o sujeito ir contra absurdos eventualmente ordenados por um superior (sem ir preso!), é fazer promoções de forma mais justa dentro da corporação, é focar no diálogo e no uso de armas não letais (embora não seja o fim do armamento letal). Estamos falando da polícia que mais mata no mundo e que acoberta muitos abusos, afinal, a corregedoria dela faz parte da corporação, regida por militares. É evidente que em algumas situações não é possível se livrar do armamento pesado e da hierarquia cega antes de mudar algumas políticas públicas, como, p. ex., o combate do BOPE nos morros do Rio, antes deveríamos acabar com a estúpida guerra ao tráfico, pois da forma que é, certamente não cabe a um soldado desse batalhão questionar seu superior imediato em uma ação, pois pode implicar na morte de todos eles. Enfim, em uma palavra, a polícia militar tem que acabar, não há como melhorar essa instituição, pois a mesma é contaminada desde a formação dos soldados. Não estou dizendo que deveríamos despedir todos os policiais que hoje estão lá e começar do zero, mas é preciso começar, já mudar o nome, a lógica, o treinamento, a formação, a “filosofia”, e nas próximas gerações a PMerda estaria em um museu de insanidades restantes da Ditadura Militar, onde é o lugar dela.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Aprovada PEC do fim do mundo

     Para quem tem alguma dúvida que o sistema político atual no Brasil é um mundo paralelo, que não representa em nada a população, basta tomar como base a infame PEC 55, que acabou de ser votada no Senado: ela foi aprovada com folga (53 a 16), como esperado, apesar de na consulta pública oficial o povo ter votado 23 mil A FAVOR e 345 mil CONTRA. Além disso, estamos presenciando o Estado neoliberal entrando com toda a força pela porta da frente, mesmo tendo sido rejeitado nas urnas (pois o PT colocava um freio mínimo aqui ou ali, apesar dos pesares). É a volta à senzala aos poucos, ou intendemos isso de uma vez por todas e encaramos a situação como ela é, lutando como se deve, ou vamos nos acostumando com a vaselina.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

OCUPAÇÕES NA UFMG

      Pior do que o Fascista de Direita é o Facistinha de Esquerda (pseudo-esquerda na verdade, tendo em vista que a maioria desses empolgadinhos demais não leu um livro se quer de um teórico clássico). Pois assim vão contra as ideologias mais elementares de transformação, justiça e igualdade sociais.

      Estive hoje na Assembleia da FAFICH, de longe a mais improdutiva que vi na vida (perdemos a oportunidade de usar um quórum tão expressivo), não votamos nada relevante e de fato decisório, no mais das vezes vimos falas inocentes, sem conteúdo, utópicas e irreais ao extremo, previsíveis e repetitivas (muita gente falando para aparecer, várias vezes, sem pensar antes). Enfim, mas não é meu objetivo fazer uma resenha da fatídica assembleia, seria perda de tempo, o ponto é outro, qual seja, a ocupação do CAD 2.

      Narro: após a “assembleia”, vou ao CAD 2, entrar para ver como está a ocupação. Chego à porta e já pulam duas pessoas na minha frente, pedindo meu nome e curso (Erro 1: a ocupação pode e deve ser fortalecida por pessoas que não são estudantes - ainda mais por estar faltando gente, como reclamaram na assembleia; Erro 2: se for para pedir identificação, que seja a identidade ou a carteira da UFMG, caso contrário é piada); em seguida eles me deram uma fita crepe escrito “VISITANTE” (em vermelho, gritante, mas até aí aceitável, né); peguei a fita e uma das pessoas já falaram enquanto eu olhava para tal, “cola em você agora” – eu olhando para a cara dela, tipo, ok, calma –, ela tentando se justificar, simplesmente disse: “estamos pedindo para todos isso”. Beleza, não discuti, não valeria a pena, colei e fui entrando, quando aconteceu o maior absurdo, motivo de escrever esse texto:

      A “porteira” do QG me disse: “Espere! Alguém tem que entrar com você”. Surge um moleque (que quando eu estava entrando no curso de Filosofia ele devia está formando o primário), com pouco mais que metade de minha idade, já de cara me questiona o que eu penso da ocupação (como assim, tem que falar bem para entrar?!) e começa a andar do meu lado como um guarda-costas, olhando-me dos pés à cabeça, gaguejando e tremendo como uma vara verde (o mané estava com tanto medo que comecei a ficar com pena, troquei ideia com ele para ver se ele relaxava). Sem cabimento! Se você for ao banheiro do CAD 2 agora terá alguém para sacudir para você. Fala sério!

      Isso fode o movimento! Quem foi o Jênio que propôs essa merda?! O resto normalmente vota como gado, quero saber de fato quem propôs, se veio de um desses que se acham líderes, "formadores de opinião" (expressão cômica e patética, diga-se de passagem) e donos do prédio. Além de ser contra à lei (no caso dessa, lei boa e justa, penso), barrar alguém de entrar em um prédio público assim é dar motivo para até pessoas de fora falarem. Há alunos na UFMG sem posição formada sobre as ocupações e vários outros contrários (o que não é o meu caso, diga-se de passagem, antes que surjam os ad hominem, mas muitos são tão antigos quanto eu e verão isso como uma afronta) que tem o direito de entrar ali, agindo assim só dividirá a pouca voz que temos. (A propósito, houve gente propondo bater de frente até com o reitor que feliz e inesperadamente se colocou prontamente contra à PEC 241!).

      Essas atitudes estragam qualquer pauta de esquerda. Por essas e outras a cada vez mais estou desanimado (hoje boa parte do pessoal de “esquerda” nem mesmo sabe o que é ser de esquerda). Antes que algum desses pseudo-revolucionários que nunca deu a cara para bater e que nunca ralaram um dia na vida (e nem sequer leram a PEC em questão para variar – a meu ver absurda, sim) “argumente”, a possibilidade de visitantes danificarem algo não justifica. Não se arranca o braço porque sua unha está doendo (ou pior, pode vir a doer! rs). Se o possível "delito" não foi ação do pessoal da ocupação, não foi e ponto final. Os CADs têm câmeras, eles que provem o contrário. Quanto à mídia, ela não precisa de quebra-quebra para negativar nada (estamos carecas de saber, espero). Sem contar que quebra-quebra pode ser também um ato de expressão, mas não vou entrar agora nessa seara, basta dizer que por dizer isso não estou defendendo tal nessa situação. Fato concreto é só um: negativado já está é constrangendo assim alunos que querem ver (e quem sabe aderir) a ocupação. Por essas e outras muitos dizem que o último objetivo de boa parte dos ocupantes é realmente político. Política se faz com diálogo, liberdade, não com imposições baixas assim!

      Já dizia Nietzsche: "Aquele que luta com monstros deve acautelar-se para não tornar-se também um monstro".

      Ps: Fui ao IGC também, lá felizmente não aconteceu essa palhaçada; a única crítica que os faço é a forma ridícula de identificação: ou faz direito, como eu disse acima, ou não faz. Tive que ir embora e não deu tempo de visitar o CAD 1 nem a FAE. Espero que as coisas estejam diferentes por lá.


FASCISMO NA OCUPAÇÃO NÃO É EXCLUSIVIDADE DO CAD 2:

      Hoje (26/10/2016) estive no CAD 1, mesma regra, só entra quem concorda e acompanhado de “guarda-costas”. Há atos de extremo fascismo no IGC também, portanto, RETIRO O QUE EU DISSE sobre o mesmo, explicarei a seguir. SALVA APENAS A FAE, lá a ocupação está como se espera: com liberdade, respeito ao direito de acesso e consciência política.

      No intervalo de minha aula à tarde fui ao prédio do IGC. Na portaria a mesma “identificação” cômica. Entro na sala de computadores. Menos de um minuto depois entram dois alunos atrás (um menino e uma menina), daquele naipe, jovens que acabaram de se tornar de maior e se acham os donos do mundo, curtindo a vida sem ter que dar a mão para mamãe para atravessar a rua pela primeira vez, saca? O rapaz vira para mim e grosseiramente diz: “o que você está fazendo aqui?”, “você é aluno?”. (Observem que eu já havia me identificado na entrada). O sujeito tentando me intimidar assim, exatamente com essas palavras. Lembrando que os computadores da UFMG são liberados apenas com senhas do “Minha UFMG” (cadastro de alunos), ou seja, ou o sujeito é um calourozinho que está na universidade apenas para brincar, que até hoje só usou o iPad que o papai deu, ou é burro, convenhamos. A menina completando disse: "não vai poder usar o computador". Eu tinha poucos minutos livre, e já puto com a abordagem deles, falei: “cara, eu não tenho que me explicar para vocês”. Nisso a menina disse: “você vai sair daí agora”. Eu falei: “nem se o presidente chegar aqui”. Ela pensou que eu estava me referindo ao suposto “líder” da ocupação, rs – foi chamá-lo. Nisso o cara entra, num tom mais educado que os colegas, é verdade, se dirige a mim, mas fazendo uma pergunta onde não cabe mais autoritarismo, ele disse: “o que você está fazendo no computador?”. Acreditam nisso?! O cara queria saber o que eu estava fazendo no pc! Eu nem iria dirigir a palavra para ele, fiquei um tempo o olhando para ver se era isso mesmo, na verdade só o respondi por conhecê-lo de outras manifestações e sei que é um cara com boas intenções. Só mostrei o quão absurdo era o que ele estava me perguntando, ele desconversou. Eu não tinha mais tempo a perder, resumindo, o disse que não sairia dali, que tinha direito de estar ali e de usar o computador como eu bem intendesse. Ocupar não significa rasgar a Constituição, obviamente.

      Aí em menos de cinco minutos termino de usar a máquina, saio lá fora; havia mais de trinta pessoas debatendo a situação, cobrando do sujeito para me tirar de lá (sem brincadeira, não sei o que rolaria se eu fosse um cara franzino). Isso mesmo, TRINTA PESSOAS para discutir qual atitude fascista iriam usar para tirar-me de lá! Eu disse para eles que sairia quando quisesse, e questionei o que fariam com quem discordasse deles então, já que estavam agindo assim em relação a alguém que é contra a PEC 241 e apoia ocupações. Perguntei se queimariam o cara. Aí começou insultos do mais baixo calão e gritaria (teve uma menina que do nada me chamou de machista, tudo o que eu havia feito foi perguntá-la, após ela ter berrado no meu ouvido "cuzão", porque ela estava gritando para me expulsarem de lá). Nisso alguns não tiveram o pudor de dizer que eles não ligavam para a existência de leis (nem a lei que preza a liberdade que supostamente lutam por, que permite exatamente o livre acesso a lugares públicos, olha o nível!) e outros disseram ainda que eles faziam as leis que queriam. Ao sair uma menina disse que eu não entraria mais, a perguntei por que, ela ficou sem resposta, nem sabia o que tinha acontecido! Típico de fascistas alienados. Verdade seja dita, só não fui linchado devido ao meu tamanho. Ocupar um prédio não é tomar posse do lugar e criar um novo Estado, impedindo que os próprios alunos entrem! Vergonha total desses pseudo-revolucionários, que se dizem marxistas sem se quer ter lido uma página de Marx. Sou de esquerda, lamentável ver o desfavor que esses fascistinhas fazem às nossas pautas.

      Tendo em vista o Senado que temos, a absurda PEC em questão provavelmente vai passar, de forma que o que ficará será nossa atitude, como estamos articulando a voz contrária. Ela não pode ser ecoada assim, pois dessa maneira sairemos piores que entramos. Enfim, por essas e outras: CONTRA A PEC 241, MAS AINDA MAIS CONTRA AS OCUPAÇÕES FASCISTAS NA UFMG!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Candidatos à Prefeitura de BH na UFMG

      Breve resenha sobre o debate dos candidatos à Prefeitura de BH realizado na Faculdade de Direito e Ciências do Estado da UFMG no dia 19/09/2016.

      Primeiramente: FORA TEMER golpista.

      O debate organizado pelo Campo de Públicas contou com a participação dos candidatos: Sargento Rodrigues (PDT), Délio Malheiros (PSB), Maria da Consolação (PSOL), Vanessa Portugal (PSTU), Reginaldo Lopes (PT) e Paulo Lamac (Vice candidato na chapa do Alexandre Kalil, PHS/REDE) – ordem de assento. Auditório completamente lotado.

      Na verdade quero ser bem sucinto, dar um resumo geral e registrar poucas coisas, basicamente o que foge ao script ensaiado por eles antes. Muito bem, vamos direto aos pontos: a plateia foi um show à parte, felizmente se recusando a comportar como os organizadores queriam (alguns desses muitos chatos, escolhendo alguns indivíduos para pegar no pé), regeram o tom do debate. João Leite (PSDB), como esperado, fugiu ao debate mais uma vez, entretanto, não deixou de ser criticado, destaque à oportuna lembrança da Maria da Consolação, ao mencionar que o amigo do Aécio, “menino mimado que não sabe perder”, votou contra os professores, impedindo aumento salarial desses servidores.

      Aproveitando que já a citei, Maria da Consolação foi ovacionada, a propósito, de longe proferiu as melhores respostas e colocações – as pautas de esquerda estiveram sempre presentes nas falas dela e nas falas da candidata Vanessa Portugal, a última só um pouco perdida com o tempo, deixando de aproveitar segundos preciosos, mas fez duras e belas críticas ao sistema capitalista. A questão dos negros, da mulher, dos LGBT, do trabalhador, da distribuição de renda, das ocupações, dos excluídos de forma geral, só se fizeram presentes de maneira relevante por intermédio delas. Os demais candidatos tentaram as evitar a qualquer custo, no bloco em que eles escolhiam os candidatos para direcionarem suas perguntas, elas só foram escolhidas quando os outros não podiam mais responder.

      Délio Malheiros foi devidamente “malhado” (não resisto ao trocadilho, rs) do início ao fim, acho que não teve uma fala dele que não se ouviu ao menos um “Fora Lacerda” (só uma vez consegui ser o primeiro a gritar, rs), picareta, chegou com a desculpa esfarrapada que tinha um compromisso depois e que teria que sair antes do fim – essa é tão batida como o “você vem sempre aqui”, tudo para não ter que passar no meio do povo e olhar as pessoas nos olhos (quem sabe eventualmente levar uma ovada) –, como disse Paulo Lamac, foi o típico “bate e corre”; sínico, entre suas falas mais ridículas disse que é notório que o belorizontino sabe escolher seu prefeito (vaiado, obviamente) e basicamente dizendo que tudo na cidade é perfeito (tirando gargalhadas dos espectadores); o único momento em que os presentes gostaram da postura dele foi quando respondeu uma intervenção “indevida” de uma garota da plateia e quando disse para o Reginaldo Lopes não ser hipócrita e reconhecer que o partido dele também deu a mão para lançar o Lamerda, ops, Lacerda.

      Reginaldo Lopes nada de novo apresentou, todos sabem que o PT não é mais esquerda há muito tempo, que sua alma pertence ao empresariado não é de hoje. Só nos momentos em que denunciou o golpe foi de fato aplaudido. Ficou criticando o fantasma João Leite, as inúmeras privatizações e deu algumas boas tiradas no insustentável Délio Malheiros, que por sua vez, teve algum êxito em ironizar, na sua respectiva réplica, a matemática do seu adversário.

      Sargento Rodrigues, o que falar, confidente de pé de ouvido do Délio e postura militar como uma “sequela” de seu treinamento (só faltou sair marchando após o hino nacional). Falando de segurança aos moldes de criminalização da pobreza, para variar. Contudo, deu boas alfinetadas ao fantasma do Alexandre Kalil, denunciando que o mesmo foi condenado em primeira instância por não passar ao INSS as contribuições dos empregados de sua empesa de engenharia.

      Paulo Lamac foi o comédia do debate, perdido como cego em tiroteio (chegando, inclusive, a fazer interferências fora da sua vez de fala), defendendo o Kalil a qualquer preço. Garantiu boas risadas. Disse várias vezes que, se necessário, desenharia suas propostas, já que o acusavam de não as ter. A parte de maior sucesso dele foi quando disse que era vice, mas não era traíra golpista, que sabia o programa de governo do titular e que o honraria. Entrou numa polêmica com a Maria da Consolação, ao dizer que ela estava “forçando” por provocar uma discussão do machismo a partir do tratamento “maria” para com o time rival; foi duramente vaiado.

      Enfim, foi um debate interessante, já que caíram nas provocações, o que normalmente são orientados a evitar em debates na grande mídia. Podemos ver como a Maria da Consolação é de fato uma “bomba” para eles, certamente estão comemorando muito por a terem boicotado nos debates da TV. Para terminar, repito, a plateia deu o show!

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Nas Olimpíadas professor chega em último lugar

      Olimpíadas para inglês ver, todo mudo sabe. Olimpíadas programa para rico, todo mundo sabe. Olimpíadas para promover políticos, todo mundo sabe. Infelizmente, como todo mundo também sabe, a educação vale menos que o esporte no Brasil (e coloca MENOS nisso!). Mas vale narrar um breve fato exemplar do último em relação aos jogos que aconteceu comigo para ilustrar como até no micro – como diria Foucault, na “microfísica do poder” – isso é evidente: eu, a pé, em cima da hora para chegar à escola que dou aula, encontro um monte de PMerda nas redondezas do Minas Tênis Clube (o que já é questionável, mas não vou entrar nessa seara agora); vejo eles fechando o trânsito alguns quarteirões acima com suas motos; quando fui tentar atravessar a Av. do Contorno, mesmo sem carros por perto, um deles com toda “cordialidade” de costume veio gritando na minha direção, no intuito de me barrar. Eu perguntei: “aconteceu alguma coisa?”. Ele respondeu, se colocando quase à minha frente: “não, estamos abrindo caminho para o pessoal da Olimpíadas”. Eu replique: “cara, eu tenho que dar aula e estou atrasado”. Ele deu de ombros, expressando um “e eu com isso”, como se eu nada tivesse dito. A rua quase vazia, sem sinal de qualquer carro oficial, ônibus de atleta ou afins, e eles segurando o trânsito (tanto de veículos como de pedestres) – esperei uns dois minutos e falei: “tenho que ir” e fui andando; pelo visto, ele não podia sair do posto dele, então meio que fingiu de bobo e continuou se preocupando mais com os carros (caso contrário, como eles são, era possível eu ter levado um mata-leão da vida de graça). Enfim, esse é o nosso país: segure os professores para os atletas da casa do caralho passarem! E danem-se os alunos, né, pra variar.

      Ps: por coincidência, quando saí passei em uma lanchonete e vejo a seguinte cena, lamentavelmente corriqueira: entra um PMerda, chega perguntando pelo suco de laranja. Um funcionário corre todo apressado, como uma mucama ao comando da sinhazinha, e traz uma jarra de 5 litros e quase um saco de copos descartáveis fechado. Ao pegar o suco, ele pergunta: “quanto é?”. O dono do estabelecimento responde o clássico: “que isso, não é nada!”. (Será que ele daria um copo de água para mim e para você?). Sem comentários.

domingo, 31 de julho de 2016

Sério, “Ditadura do Proletariado”?!

     “Ditadura do Proletariado”, esse é um dos conceitos mais imbecis e estúpidos que foi difundido loucamente nos últimos tempos, quiçá o mais. Por duas razões primordiais: 1- Não condiz em absolutamente nada com a verdade; 2- As pessoas que o usam não fazem a menor ideia do que estão falando. Por essas e outras, podemos afirmar sem receios: a direita nunca foi tão burra como hoje em dia. Cada vez mais, em qualquer tema que seja, quando se diz “debate entre a esquerda e a direita”, podemos traduzir por: “debate entre quem pensa e quem não pensa”.
   Venho escutando essa bobagem vinda da boca de figurões da direita e semianalfabetos coxinhas há um bom tempo, mas o que me motivou a escrever esse breve texto (não precisa gastar muitas palavras para refutar isso) – entenda-se, o que me motivou como a “gota d’água” final que transborda o copo – foi o programa Fla-Flu da TV FOLHA, do dia 07/07/2016, sobre o feminismo, onde as convidadas para o debate eram Sâmia Bomfim (não escrevi errado, o nome dela é esse mesmo, m antes de f, rs), como representante da esquerda, a favor do feminismo, e Sara Winter, como representante da direita, contra o feminismo. Não vou aqui debater ou comentar o conteúdo da entrevista, embora tenha sido o estopim desse texto, não é meu propósito, até porque é apenas mais um debate que se enquadra na definição apresentada acima para esquerda contra direita, a saber, debate entre quem tem um cérebro dentro da cabeça contra quem não tem. [Debate realmente pouco produtivo, salvo para escancarar ainda mais a falta de argumento e o pensamento raso dos ditos “direitistas”, mas quem quiser ver, segue o link: “Fla-Flu:Ex-Fêmen diz que ativistas inventam casos de violência; feminista nega”].

     A Sara Winter, entre muitas outras inúmeras besteiras (como dizer que o PT é esquerda, que mesmo em caso de estupro não deve ser permitido abortar, negar as conquistas históricas dos movimentos feministas, defender Bolsonaro e Alexandre Frota, os partidos que impõem a ideologia cristã, e etc.) e flagrante falta de informação, em um determinado momento soltou o parvo clichê da direita para atacar sua debatedora: “Ditadura do Proletariado”. Vejamos então que prova de estultice é essa expressão. Primeiramente, como todos sabem, o termo proletariado nesse sentido é oriundo do filósofo Karl Marx (1818 – 1883), portanto, o intuito dessa expressão é atingir a filosofia marxista (ou comunista, como preferirem). Mas o tiro sai pela culatra, pois só mostra como os que a usam não conhecem absolutamente nada de Marx (eles não conhecem nada de nada, mas enfim). Muito bem, para isso ficar claro, é importante fazer a pergunta elementar: “quem é o proletariado?”. Aula básica de sociologia: de acordo com a visão marxiana, proletariado é a classe que só tem a força de trabalho para vender; o termo tem origem no conceito de “prole”, filhos, quer dizer, o proletariado é aquele que só tem a força de trabalho própria e de seus filhos. “Ditadura” dispensa definições (espero que saibam ao menos isso, caros coxinhas).

      Se se pode falar de ditatura propriamente dita no mundo, é a ditadura do capital; onde se morre de fome com comida sobrando ao lado, onde se mora na rua, onde a saúde e a educação são mercantilizadas, em suma, onde o ter supera em todos os sentidos o ser. Modelo insustentável e insano que hoje é tido como natural. Mas não vou entrar nessa seara para não me alongar muito, basta ver os fatos, olhar o mundo e não o seu “mundinho”. Poucos ditam sobre muitos, por assim dizer.

     Tomemos apenas o caso do Brasil. Segundo o IBGE de 2010 (o último realizado), pouco mais de 3% da população brasileira ganham acima de 10 salários mínimos (diga-se de passagem, 72% ganham menos de 2 salários mínimos, na época R$ 1020,00 – não é necessário prolongar para dizer que se trata de salário que não dá nem para subsistir de forma plena). Nesse sentido, poderíamos dizer que o “proletariado” é representado por ao menos 97% da população no nosso país! (Ao menos, pois tem os que ganham um pouco mais, porém não são donos dos meios de produção, o que basicamente faz de alguém um membro da burguesia). Você pode estar pensando que o Brasil tem mais empresários do que isso, mas o que está em conta não é isso, mas sim quem são de fato os donos dos meios de produção, que certamente não ganham menos do que 10 salários mínimo por mês – o chamado pequeno empresário, que via de regra ganha menos do que isso, que trabalha o dia todo na sua loja, também oferece é a sua força de trabalho em última instância; quem vende as matérias primas, as ferramentas e/ou os produtos fabricados para a pequena empresa deste é que são os legítimos burgueses. Em uma palavra, por si só, ter um comércio pequeno não o faz ser parte da classe burguesa. Ora, dessa forma, dizer “Ditadura do Proletariado” é insano, percebe? É como dizer que você é ditador de você mesmo! Afinal, estamos falando de ao menos 97% da população! (Sejam assalariados ou pequenos empresários). Reclamar de um (possível) Estado que apoia o proletariado é praticamente o mesmo de reclamar de um Estado que apoia a todos. O correto seria dizer governo (do povo para o povo). Dizer o contrário é de uma ignorância galopante! Quem usa essa expressão lunática está defendendo os privilégios de uma minoria numericamente insignificante em detrimento de todos dos demais. Absurdo é os burgueses ditarem as regras como reis, o que infelizmente acontece hoje. (Vale lembrar que, ainda segundo o IBGE 2010, apenas 0,9 % da população ganham mais de 20 salários mínimo – grupo esse que poderia ser enquadrado na chamada "alta burguesia", que realmente comanda o país).

      Meus caros, sintetizando, esse termo não passa de uma falácia grosseira, sem pé nem cabeça, sem qualquer sentido válido. É impressionante como um lixo assim é propagado, muitas vezes até pelos próprios proletariados alienados que não se veem como tais, que defendem a elite dona dos meios de produção e seu cruel sistema sem se quer fazer parte dela. Francamente, a direita já foi mais inteligente, ou melhor, menos burra. Hoje esses energúmenos delirantes basicamente só repetem meia dúzia de conceitos furados que ouviram por aí, e ainda com ares de erudição. Eles são a sua própria refutação.

terça-feira, 7 de junho de 2016

"Prostituta de luxo", faz algum sentido?!

      Sócrates nos ensinou o valor da ironia, então me permitam começar usando-a: imagine, Glauco, a seguinte situação: “uma menina criada no seio de uma família de ‘bem’ (por mais que eu ache ridícula essa expressão, uso só agora para ilustrar, rs), que nunca faltou nada, que sempre teve férias em lugares diferentes, todos os brinquedos, proteção e amor dos pais, domingo no sítio do vovô e da vovó, que sempre comeu do bom e do melhor, que estudou nas melhores escolas, que fez balé, natação, violino e outras coisitas mais, que falava fluentemente três línguas antes de entrar na melhor universidade aos 17 anos, que em seguida se formou em medicina (ou direito, ou engenharia), sendo ‘doutô’ tão novinha, depois já sai com um bom emprego devido aos contatos do papai, em um belo dia decide mudar de profissão, escolheu agora ser ‘prostituta de luxo’ ” – Glauco pasma: “você enlouqueceu, Sócrates?!”.
       A situação inventada é tão bisonha que não precisa comentar... A questão da “prostituta de luxo”, a meu ver, nem mesmo é um argumento para discutir a prostituição como um todo, pois se se pegar todas as prostitutas, desse “tipo” serão menos de 0,001% delas (jogando baixo!), falando abertamente, quase a totalidade está dando para vinte caras em um dia e mal conseguindo pagar o aluguel do puteiro e se alimentar (e alimentar os filhos – muitas aceitam fazer sexo com qualquer lixo humano que aparece, algumas mesmo sem proteção se pagar mais, para não ver seus filhos passando fome!). Quando uma garota entra no mundo da prostituição sua vida fica marcada, não basta querer mudar (e mesmo essa posição pessoal é complicadíssima, por inúmeras questões, sobretudo de cunho psicológico – mas por um momento desconsideremos os traumas, a falta de escolaridade, de oportunidades, os espancamentos, as ameaças, as drogas, o risco eminente de morte e o fato da maioria delas terem começado uma vida sexual precoce, em muitos casos fruto de estupro), a sociedade não mudará junto... Uma vez inserida naquele meio, tudo que ela quer é um “cliente”, mas isso não significa nada para olharmos a questão de forma geral.
       Profissionalizar a prostituição no Brasil é permitir qualquer neoliberalzinho patético, herdando a fortuna do papai, investir para basicamente escravizar mulheres pautado na lei da oferta e procura; ao menos hoje o cafetão ainda pode ser preso (sim, no mais das vezes apenas em teoria, sabemos que eles estão por aí, disfarçam pagando de “hoteleiros”, cobrando absurdamente mais por um quarto), oficializar essa situação será dizer o contrário, será fazer com que elas ganhem ainda menos; dizer que teriam “salários dignos” é tão piada quanto o Cunha defendendo o mesmo na terceirização, francamente... “É a profissão mais antiga do mundo” – dizem alguns. Assim como a escravidão, né?! Seja como for, eu não consigo ver como fazer sexo por dinheiro não é um tipo de violência (se não pensam assim, peço que mostrem claramente como), evidentemente há violência social, que começa na desigualdade socioeconômica, mas também diversas outras. Fazer sexo mandado com qualquer estranho, da forma e quando esse quiser, poderia ser um tipo de “prazer” (do mais inconcebível para mim), mas se entrar o ganho do dinheiro vem junto a violência sim, a submissão extrema pelo capital, muita grana não muda essa relação, muda apenas os objetivos e quem está usando; certas coisas não devem poder estar à venda.

domingo, 20 de março de 2016

Discussão que tive com indivíduos pró-golpe

Julgue você se os “argumentos” (entre aspas por que, a meu ver, a maioria do que eles dizem nem se quer pode ser chamado assim propriamente) deles não são mais rasos que piscinas de meio centímetro:

A.C.: Uai Moisés ninguém dúvida q tem muita gente defendendo esse governo o Lula e alguns até mesmo a corrupção, e daí quer dizer o que? Também tem milhões contra o q vc classifica com vários nomes pejorativos se achando o dono da verdade, pra vcs O Moro tá errado, a justiça tá errada a OAB tá errada, os milhões de manifestantes estão errados, as delações são mentiras, agora até as falas dos próprios envolvidos tb não quer dizer oq disseram, os milhões confessados e devolvidos são falsos, o sítio não é do Lula, o Triplex tb não , o ap dele tb, ele não está fugindo de ser preso, a Dilma não cometeu nenhuma irregularidade, as pedaladas não existiram, não foram descumprido as leis orçamentarias nem a LRF, o impeachment é golpe, os maiores empresários do país presos e condenados são inocentes e injustiçados, o Collor, o Renan, o Sarney, Jader Barbalho, Gleice Hoffmann, Lindemberg, Mercadante, J Eduardo Cardoso, Pimentel, etc aliados acusados são todos injustiçados, e culpados só o Cunha, Aécio e Delcídio qualquer um q,se preso falar da Dilma ou do Lula, esqueci do Dirceu e cia.

EU, MOISÉS: "Parabéns" A.C., comprou o discurso senso comum da Globo 100%!

A.C.: Então tá é td mentira.

EU, MOISÉS: Para o restante entender, o A.C. transfere o debate que tivemos em outra postagem minha para aqui, o que não faz o menor sentido. Em todo caso, nem lá nem aqui defendi as coisas que ele coloca. Segue, novamente, minha postagem:

A IMPORTÂNCIA DE NÓS, OPOSITORES AO GOVERNO À ESQUERDA, IRMOS ÀS MANIFESTAÇÕES DE SEXTA:
Não em favor do PT, que poderia ter feito muito mais pelos ideais de esquerda e não fez, mas em favor da democracia, contra o fascismo!
Vejo coxinhas vociferando como zumbis mediante grampos que, apesar do tom, não revelam nada de ilegal. Isso é muito perigoso, pois mostra como a razão não está mais nem perto dessa galera. O que por sua vez faz surgir oportunistas de direita de todos os cantos para inflamar esse pessoal, como, sem o menor pudor, o ensaio de juiz fez agora, empolgado após os analfabetos políticos o tomar como herói no domingo.
Vejo agressões gratuitas a quem pensa diferente, ou como vimos em vários casos, apenas por vestir vermelho. Ir às ruas agora, portanto, não é dizer que o PT nos representa, mas defender o direito de voz! É lutar contra uma justiça arbitrária, partidária, que claro, sempre cometeu abusos aos periféricos e pobres, mas essa é a chance de dizermos não a isso a nível internacional.
Pensei sim em não ir, até porque o PT também nos reprime, mas apesar dos pesares, para essa galera verde e amarela insana e para a grande mídia o PT representa a esquerda, por isso devemos nos unir, pois estamos em um momento que pode ter consequências gravíssimas. O pouco que o PT fez pelos pobres incomoda de forma indizível esse pessoal, a “corrupção” é só um pretexto (atacam só a corrupção do PT, como temos visto), afinal, eles já haviam naturalizado crianças morrendo de fome e se consideravam donos das poucas universidades que existiam. Imaginem como se portariam contra um governo realmente de esquerda, voltado para acabar de fato com as abissais desigualdades socioeconômicas desse país! Nossas divergências, que certamente nem mesmo considera o PT um partido de esquerda mais, não podem nos cegar assim.

G.F.: Moisés, assim que possível, poderia por favor me dar um exemplo de país com o governo realmente de esquerda próspero? Ou sou muito ignorante ou não me lembro de nenhum.

EU, MOISÉS: Depende do que vc considera prosperidade, G.F.. Para mim não tem qualquer sentido país "próspero" que não distribui sua renda, onde o trabalhador não vê o fruto do seu trabalho. Quer um exemplo, Cuba, mesmo com dificuldades, veja como os camponeses viviam antes e como vivem hoje. Trata-se de uma pequena ilha, apenas produtora de cana, sofrendo todo tipo de embargo desde a Revolução, mesmo assim, as pessoas lá tem dignidade, não se passa fome com comida sobrando ao lado. E depois, esquerda é um conceito amplo, mas se focarmos na ideologia comunista, ela nunca foi implementada como se deve, até pq o Capitalismo ainda não colapsou. Mas, por um momento, invertamos a questão: tirando os países escandinavos, me aponte um país capitalista próspero (se bem q nem podemos dizer propriamente que o sistema que se tem em tais é capitalismo, é outra coisa, além de boa parte do trabalho "chão de fábrica" que não se vê lá ser terceirizado em outros países, mas longo tema para discutir aqui), nesse sentido válido. Pois ficar nas mãos de uma pequena elite toda a "prosperidade" do país é pior do que um país limitado economicamente, mas que pratica justiça social. Para finalizar, os ganhos e direitos que o trabalhador tem hoje, mesmo em países com governo direitista, é devido à luta de esquerda, do trabalhador. A própria democracia é fruto de tal. A esquerda está ao lado dos explorados, colocando sua voz e exigências estando ou não no poder meu caro.

A.C.: Aí cara vc sabe das coisas concordo com estas tuas palavras muito bom.

G.F.: Se é tão bom assim em Cuba, não entendo o porque de sua população querer fugir de lá. Japão também é uma pequena ilha, que teve a sorte de nunca ter tido um governo populista. A ideologia comunista é exatamente o que vc falou: Uma ideologia.Uma utopia. O homem nasceu para ser livre. Para colher o fruto do seu trabalho, por essas razões e outras , nunca será implementado o comunismo. Já o governo populista é muito bom no marketing. Só. Destrói a economia de todos os países onde foi implantado, e estamos caminhando a passos largos para isso. Vide a Grécia...

EU, MOISÉS: Primeiramente, G.F., essa sua informação de que a população de Cuba quer "fugir de lá" é muito equivocada, não apenas não condiz com a realidade, mas reflete o que a mídia burguesa propaga. Outra, não se trata de “ser tão bom assim”, se trata de fazer justiça social a partir do que se tem. Sem ofensas, vc definitivamente precisa estudar sobre Cuba, se tiver interesse de se debruçar um pouco sobre o tema, posso te passar alguns autores depois. Para ficar nos termos que vc coloca, aqui no Brasil está bom pra quem? Para os moradores de rua que vemos aos montes a cada esquina não é, certo? Mas também certamente não está para os 72% da população que trabalham por menos de dois salários mínimos (de acordo com o IBGE 2010; mais da metade desses por menos de um salário), afinal, esse valor mal dá para sobreviver, o que dirá dignamente, concorda comigo? Ora, então temos que considerar o que é “bom” para começar a conversa, né? E principalmente, pra quem é bom.

Japão: vc está se referindo ao Japão pós Segunda Guerra, vamos tomar cuidado com a palavra nunca, estamos falando de um país com história milenar (veja inclusive mesmo durante a guerra, história recente, descobrirá o contrário). Esse Japão ao qual vc se refere foi reconstruído pelos EUA, o que por si só o desqualifica como exemplo, contudo, a distribuição de renda funciona um pouco diferente lá, enfim, não é nosso tema.

Toda ideia antes de implementar é considerada por muitos, sobretudo os opositores, como uma “utopia”; o Comunismo não difere em nada de qualquer outra. O fim da escravidão era uma “utopia”. Eu não ousaria dizer cabalmente para o que o homem nasce, mas enfim, qual a ligação entre falta de liberdade e comunismo, que vc alude? O Comunismo é exatamente o que garantiria o trabalhador colher os frutos do seu trabalho e a liberdade de fato! Ou vc acha que alguém que rala num canavial, numa carvoaria, ou num Mcdonald’s da vida para comer é livre e colhe os frutos do seu trabalho?! Ora, é o capitalismo que permite aqueles que menos trabalham sejam os que mais lucram! Vejo que não leu nada sobre tal ainda. Nem mesmo o clássico e curto “O Manifesto Comunista”, o que dirá “O Capital” (onde está a maior parte dessa filosofia) e já faz uma crítica tão dura, absurda e precipitada.

Governos populistas também já salvaram nações, veja o caso do Allende no Chile, o Perón na Argentina e mesmo o Fidel em Cuba, pra citar alguns poucos, logo, o que vc conclui não procede. Finalmente, “destruir a economia” não implica em algo necessariamente ruim; mais uma vez, ruim para quem? Como diz Marx e Engels, 9/10 da população já não tem propriedade privada. É preciso olhar de forma mais profunda esses temas. (Pela mesma razão, nem vou começar a falar sobre a situação da Grécia aqui, fica para uma próxima, já me estendi demais e também não é nosso foco).

A.C.: Agora forçou um pouco, porém observei vc perguntar q no Brasil tá bom prá quem? E é isso q vc defende.

EU, MOISÉS: A.C., estou começando a pensar que vc não sabe o que é oposição à esquerda (a propósito, o que não me impede de ver algo positivo mesmo em um governo que discordo). E, sinceramente meu caro, depois dessa estou suspeitando que vc esqueceu o que é defesa da democracia.

A.C.: Porque vc não comenta nem um episódio do que tá acontecendo, nem uma palavra sobre o conteúdo das gravações, nem uma palavra sobre a manobra, nem uma palavra sobre as delações e aí por diante,
Nem uma palavra sobre a OAB, nem uma palavra sobre o sítio ou Triplex, nada sobre os milhões confessados, nada sobre a Petrobrás, sinceramente se vcs estão certos, como explicar tudo isso.... Será mesmo. suponhamos q esse governo e totalmente honesto e q tudo isso seja uma conspiração então vcs estão certos de resistir. Agora faça a suposição contrária, neste caso q o cerco tá fechando, aí qual seria a saída- vejo duas: vão tentar pela força e opressão manter- se no poder usando td q podem, ou estão criando um cenário de perseguição politica para pedirem asilo em algum país - neste caso vcs estão sendo massa de manobra ou inocentes úteis- pense nisso.

EU, MOISÉS: Não sou filiado ao PT, A.C., nem advogado do PT, não estou defendendo o PT agora pelo PT, está explícito na minha postagem que vc comentou aqui, não consigo entender como vc lê, relê e continua afirmando a mesma coisa! Francamente...

Não respondi por que são afirmações tão rasas q não merecem debate, mas já que insiste tanto assim, vejamos então, de uma vez por todas: 1- sobre as gravações já disse o q penso lá, repito, até agora, apesar do tom, não vi algo cabalmente incriminatório, se pensa o contrário, aponte o que de forma clara. 2- Manobra, não sei se vc está se referindo às "pedaladas" ou à nomeação do Lula, segue argumentos para as duas hipóteses: se se refere à primeira, seria um completo absurdo destituir um presidente por tal, não só porque aconteceu (e acontece) com vários outros que não sofreram nada, mas sobretudo por se tratar de algo mais relacionado ao ministério da economia do que a pessoa da Dilma, no caso dela, sendo talvez um erro, uma negligência, que tome como quiser tomar, não justifica impeachment; se se refere à segunda, mesmo que fosse a intenção da Dilma livrar o Lula das mãos de um juiz partidário insano (o que eu particularmente não condenaria assim, até pq ele pode ajudá-la de fato na governabilidade; e veja, ela não está comprando juiz ou coisa do tipo, mas fazendo que ele seja julgado pelo Supremo, isto é, está buscando o que se espera da justiça para começo de conversa: imparcialidade – o que definitivamente não é o caso do Moro!), isso não é provado pelo áudio; a justiça não pode agir contra alguém enquanto houver hipótese real do contrário, isto é, deve haver provas, e não há, a explicação da Dilma é suficiente para justificar o que se ouve na gravação em questão. 3- Delações: delação por delação não é nada, eu posso delatar que vc é um corrupto, o que isso prova? Não estou isentando ninguém do PT (até porque eu não sou petista e não tenho nada a ver com isso), mas é necessário algo mais, obviamente, todos sabem que na justiça apensa palavra contra palavra (ainda mais vindas de um bandido) não prova crime. Se houver alguém comprovadamente criminoso, que pague pelos seus crimes, mas se respeitando o amplo direito de defesa e o contraditório, como deve ser para qualquer pessoa dentro de um regime democrático. 4- OAB: a meu ver precipitada e inconsequente, com argumentos fracos para se pedir impeachment, se quer esperaram a posição da Suprema Corte dia 30. 5- Sítio e tríplex: piada de mau gosto, né? Talvez o ponto mais indigno de resposta. Não está no nome dele, não é dele. 6- “Milhões confessados”, por quem? 7- Corrupção na Petrobrás: aparecendo porque o PT deixou a PF trabalhar (quase 2300 operações até agora durante o governo do PT; em comparação, 48 apenas no do FHC. Contra fatos não há argumentos), a propósito, não existe mais o “engavetador geral da república”. Mais uma vez, corruptos devem pagar. Ninguém nega isso, quem não pode pagar é inocente. Lembrando o óbvio, todos são inocentes até que se prove o contrário, mediante os órgãos competentes do judiciário.

No mais, a parte final do seu comentário não tem sentido, “criando um cenário de perseguição politica para pedirem asilo em algum país”, hãn?! Então está admitindo que o que teremos é de fato um REGIME DITATORIAL no lugar se o PT cair?! Pois não vejo qualquer outra razão para se “pedir asilo em algum país”. É isso, portanto o que vc está defendendo?! Pense nisso!!

G.F.: Moisés, seria a mídia "golpista" que divulga um sem número de barcos com famílias inteiras desesperadas tentando escapar da ditadura dos Castros? E os atletas olímpicos e paraolímpicos?? Sinceramente, a única coisa que me interessa em Cuba são as belas praias e as músicas. Odeio ditaduras. Te falo sim pela liberdade. Um homem para trabalhar e produzir , precisa de motivação. Trabalha muito, colhe muito. Trabalha pouco, colhe pouco. No comunismo quem colhe muito é a casta de governantes que inspiram esses livros que não me arrisco a ler. O resto colhe as migalhas. Logo a economia não funciona. Falta motivação. Sobra corrupção e violência. Sejamos práticos: não conheço um só infeliz que tenha abandonado Cuba para viver em outros países que queira voltar, se separando para sempre de seus entes queridos. O que dizer então dos países do leste europeu? E a antiga URSS?? Ninguém por aquelas bandas sente saudades do comunismo. E o que dizer então das Coréias? Em qual das duas vc gostaria de viver? Na "neo-liberal" do sul ou na comunista do norte??

A.C.: Moisés, agora gostei porque vc começou abordar os temas, e ofendeu pouco os que pesam diferente. Parabéns. Porém impeachment não tem nada a ver com STF, não entendi. Suas observações estão afinadas com o discurso do petista por isso q aponto isso. Por exemplo engavetador.. O PGR até agora praticamente só tá investigando o Cunha q virou réu, quantos aos outros q tem mandato acho q + de 40 nada, é bom dizer q o Moro não tem nada a ver com esses. Agora oq nos precisamos entender é q todos somos brasileiros é a maioria que o bem do Brasil sem golpe e com a democracia, ( existe sim alguns insanos q pede intervenção militar muito pouco). Agora quanto ao final eu disse q vc supor q Lula e consequentemente Dilma sejam culpados por desvios e td mais. Neste caso se vc se colocar no lugar deles qual seria sua saída? É só um exercício de se e então. Como hoje em dia ninguém tem prá onde fugir, então só com pedido de asilo. Entendeu? Mas vou rezar para q isso termine com a verdade. Sugiro a vc q procure se inteirar tb do outro lado vendo os argumentos e provas substanciais do q está acontecendo, o problema não é tá no nome ou não do Lula a acusação é q ele está recebendo dinheiro e benefícios oriundos de propinas desviadas da Petrobrás, esquemas milionários q já está provado é isso, não se pode justificar superficialmente isso. Outra coisa o Moro ele estava com escuta nos fones do Lula com autorização dele mesmo e as falas meu amigo ao contrário q vc disse são comprometedoras junto com as demais provas e distante das versões q os petistas dão é só vc analisar sem paixão. Um abraço

G.F.: Moisés, quanto à sua resposta ao A.C.: 1- as gravações são vergonhosas e gravíssimos indícios de picaretagem da forma mais deslavada possível. Juntamente com outras gravações ainda não divulgadas serão provas sim de corrupção, formação de quadrilha, falsidade ideológica entre outras. 2-aconteceram sim pedaladas (bem menores) em outros governos, mas não existia ainda a lei de responsabilidade fiscal, fora o agravante da pedalada ter se efetivado nas vésperas das eleições, o que constitui crime eleitoral. Quanto ao Moro, ele não é partidário. Vai prender o Lula, e pode ter certeza: virão Cunha, Temer, Renan, Aécio....e quanto à Dilma ter nomeado Lula para o livrar do Moro, isso está mais que provado. Basta ouvir as gravações. Além do mais , o país já está em bancarrota a mais de ano. Porque só agora o "superministro" resolveu ajudar??? 3- As delações só valem com prova. Elas estão anexadas no processo e o réu terá direito de defesa quando do julgamento. E são muitas. 4- OAB... argumentos fracos????? 5-Triplex e sítio. Ou o Lula apresenta recibos de aluguel ou o sítio é dele sim, em nome de laranjas. Pois não há nenhum objeto pessoal dos "donos" , apenas do amigo Lula e de sua esposa e filhos. Isso está mais do que provado. 7 - Corrupção na Petrobrás...tá de sacanagem, né? PF está trabalhando, mas só pega petista...quanto ao engavetador, isso é mais uma falácia. Nunca se engavetou tanto!!! E no último comentário, sim, estão criando um clima de perseguição, um inimigo, para que a militância seja amparada e a saída seja"honrosa". Perseguição sim, a bandidos. O PT virá com a história de "prisioneiro político" para o caso de prisão do Lula , pode apostar. E no caso, não sería um asilo, e sim uma fuga. Os "coirmãos" Maduro, Castro, etc, estarão de braços abertos para ele. Por isso, cana no molusco!!!

Por último, e só para deixar bem claro, não gosto de política. Irresponsavelmente não voto a mais de 15 anos. Mas tive que me envolver por conta dessa quadrilha que se instalou no poder. Peço desculpas se fui rude com as palavras e te ofendi. Grande abraço aos dois.

A.C.: Aí G.F. falou td. Pena q com Moisés não adianta. Agora ainda temos esse alerta do Joaquim Barbosa q se for dele mesmo é muito sério. E o problema deles é q todo mundo q fala deles pode ser o cara mais honesto e conhecedor do mundo, eles desqualificam como se fossem marginais, até o Papa se falar do Lula acabou.

EU, MOISÉS: Sem querer ofender, pouca coisa do que vcs disseram são reais argumentos, a maior parte é algum tipo de apelo, no mais das vezes emocional, sem fundamento. Não quero alongar essa discussão, pois pelo que apresentaram, há pouco propósito real para se perder tanto tempo. Mas segue resposta aos pontos questionados (na réplica de vcs, se houver, peço que apontem fatos concretos, não achômetros, já que estão acusando assim de forma tão veemente).

MINHA RESPOSTA AO G.F.: Pois bem, primeiramente sobre Cuba: vc sabe por que Che Guevara não foi bem sucedido na Bolívia? A principal razão foi a falta de apoio dos camponeses, que embora fossem os mais explorados e consequentemente seriam os mais beneficiados na revolução comunista, foram alienados, pressionados e mesmo ameaçados para não compactuar com o movimento. Digo isso porque, não é automático a pessoa entender o ganho de um regime que busca o real bem de todos, às vezes é necessário abstração, sair do seu mundinho egoísta e se perceber como um ser parte do todo, em uma sociedade, que quanto mais desigualdades houver, mais conflitos haverá. No entanto, esses iludidos e/ou buscando apenas uma chance de se elevarem não importando com o redor, que não percebem a importância do outro para se ter paz, tentam ir para o país mais “próspero” no capitalismo, que fica ao lado, os EUA. Em uma palavra, a alienação pode gerar sonhos torpes. Mas são a minoria. Certa vez vi um documentário sobre cubanos nos EUA e em outros países da América Latina – não feito pela mídia burguesa que foca na exceção para dizer ser o todo; é por isso que vc não conhece –, nele, de forma geral, os cubanos falavam bem de Cuba, a maioria deles via nos Castro não um regime ditatorial, mas verdadeiros heróis resistindo e lutando contra o capitalismo, que de fato distribuíam as riquezas, apesar da limitação econômica da ilha. Mas enfim, não vou me estender até por que vc mesmo afirma que não lhe interessa, mostro isso apenas para ficar claro que vc está comprando uma visão muito limitada mediante toda a complexidade envolvida, e já emitindo uma opinião como se fosse expert em tal. Existe um ditado no nordeste bom sobre isso: “guarde sua boca para comer farinha”. Numa boa, é o que deve ser feito quando não se conhece nada sobre um assunto.

Cara, que visão limitada vc tem sobre trabalho no capitalismo. Primeiro, liberdade só é possível de fato se houver um mínimo de sobrevivência garantido – leia autores como J. Rawls e M. Sandel, abririam a sua mente (espero). Segundo, quem te disse que não há motivação para trabalhar no comunismo? Velho, vc realmente não conhece nada sobre tal! Na verdade a “motivação” do trabalho no capitalismo é a pior possível, pois o que se busca é tão somente o acúmulo de capital, essa é a ideia do capitalismo, sua essência e origem (veja Max Weber); não se chega a lugar algum. Uma proposta oposta ao capitalismo é o trabalho com um ganho real, isto é, sua motivação passa a ser contribuir com a humanidade, proporcionar meios de conforto a todos, desenvolver a ciência, a técnica, a pesquisa, a harmonia no ambiente, a ética, se tornar alguém honrado, justo e etc, não apenas “lucros”, não números virtuais na conta bancária... Então, de acordo com a sua “lógica”, os filhos de um cortador de cana, seguindo a profissão do pai, trabalhando até 16 horas por dia com o Sol derretendo, não estão se esforçando o bastante e o filho do Eike Batista é um exemplo de trabalhador?! Cara, com todo respeito, só nos resta rir.
Quando vc fala dos países comunistas então, fala sério! Uma coisa é como funciona o regime comunista em paz, outra em guerra, principio elementar. Lembrando que os embargos econômicos são armas que podem destruir uma nação. Pelo visto vc não deve saber, mas Cuba só sobreviveu por que a URSS comprava todo o seu açúcar, pois os EUA usaram seu poder político nas Américas para isolar Cuba. Ora, vc acha que as coisas seriam as mesmas sem embargos?... Em qual eu gostaria de viver? kkkkk... Meu caro, o comunismo prega o fim das nações! Pra finalizar, o que salta nos seus comentários é o erro mais comum, qual seja, confundir a filosofia comunista com o que se tentou implementar, em uma palavra: confunde a teoria com a tentativa fracassada dela na prática. Erro básico.

MINHA RESPOSTA FINAL AO A.C.: Ora, como não?! Afinal é o STF que julgará a procedência. Obviamente tenho ciência que o impeachment é uma questão política, no final das contas não se trata de ter acontecido ou não crime (o que por si só é um problema grave na Constituição, mas que não é o momento de discutir aqui). Mas sem base judicial a coisa fica feia, pois será visto em todo Brasil e lá fora como um ataque direto à democracia, como puro e simples golpe... Eu não diria que são poucos assim os insanos que pedem a volta dos militares, mas mesmo sendo a minoria, vc sai lado a lado deles em protesto meu caro! O que eu vomitaria!

Se se provar cabalmente que Lula e Dilma são corruptos, desviadores de dinheiro público e outros crimes (o que até agora é piada), eles devem pagar de acordo com a lei. Nosso país não permite agressões, tortura ou morte, esse é o sentido de se estar em um Estado de direito. Sendo assim, colocando-me no lugar deles, nada muda, pois um país não ditatorial aceita quem pensa diferente, pune apenas dentro do permitido legalmente e não fere/elimina a sua própria Constituição para que as pessoas tenham que fugir do território para sobreviver.

Ok, que bom que está provado que houve desvios, pois assim temos certeza que o PT não agiu para calar a PF. Não, meu caro, o Lula não é acusado de nada, alguém acusado se torna réu. O Lula, até o presente momento, é apenas um investigado, como qualquer um pode ser.

Erra novamente: pegue a conversa da Dilma com o Lula, desde o início, verá que a gravação começa antes de chamar o telefone do Lula, o que indica que o grampo dessa ligação estava na Dilma, não no Lula, o que configura um crime, ao qual o paladino da justiça de araque, Moro, deverá pagar. “Comprometedoras junto com as demais provas”, quais provas?! Aponte-as. Senão será apenas bate-boca, o que não faz qualquer sentido para continuar esse debate. Digo o mesmo, apesar de não ser válido para mim pelas razões que apresentei à exaustão, é só vc analisar sem paixão. Abraço.

MINHA RESPOSTA FINAL AO G.F.: 1- indícios, se é que são (o que eu discordo), não são provas. Mas o mais engraçado foi vc bancando a vidente: “Juntamente com outras gravações ainda não divulgadas serão provas sim de corrupção, formação de quadrilha, falsidade ideológica entre outras”. Me ajuda aí, meu caro! 2- Eu não disse apenas que as pedaladas aconteceram, disse entre parênteses “e acontece”, e sim, aconteceram depois da lei de responsabilidade fiscal também. Nota-se que vc não apenas desconhece Cuba, mas o que é crime eleitoral no seu próprio país também. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Um crime não implica em outro por si só. Dizer simplesmente que o “Moro não é partidário” não é argumento, demonstre porque não é o caso – para isso terá que explicar porque ele pediu uma condução coercitiva para quem nunca se negou a comparecer e porque ele soltou os áudios/grampos na imprensa fazendo papel de promotor (de promotor imbecil, diga-se de passagem), e ainda porque apenas soltou os áudios de petistas, tendo em vista o bando de corruptos de outros partidos delatados e mesmo condenados... Vc diz: “quanto à Dilma ter nomeado Lula para o livrar do Moro, isso está mais que provado”, é mesmo?! Aponte as provas (não, não basta ouvir as gravações. Não confunda novamente tal com indício, ok?). 3- Novamente, aponte uma dessas provas que vc diz estar “anexadas no processo”. 4- Sim. Qual argumento deles vc acha forte? Mais uma vez, qual a prova? 5- Vejo que vc não tem a menor ideia do que é prova judicial. Prova em termos jurídicos tem a conotação de algo cabal. Dizer que está “mais que provado” pelas suas alegações é motivo de riso. Acompanhe a jurisprudência em casos parecidos, tenho certeza que mudará de opinião da noite pro dia... Do item 5 vc pulou para o 7, mas muito bem, segue: fica provado (no sentido real, que vc infelizmente não sabe usar) que vc se quer está acompanhado os noticiários, dizer que a PF só pegou petista é da mais abissal ignorância. Contra fatos não há argumentos. Nem o pedirei para apontar o “tanto” que vc alega que o PGR “engavetou”, aponte um caso comprovadamente (mas enfim, vc não sabe o que é prova).

Mais uma vez, vc banca a vidente no final: não apenas incriminando o Lula de antemão (alguém, que friso, se quer é réu até o momento  como o próprio delegado da PF disse: "não há provas contra ele"), mas dizendo que ele vai fugir do país e de quebra falando indiretamente mal (“coirmãos”) do Maduro e do Fidel, que certamente vc também não tem a menor noção. Não vou comentar seus ataques para fazer chacota do Lula, até porque, apesar de calúnia e difamação serem crimes, o Lula não o processará, fique tranquilo.

Cuidado meu caro, Platão já dizia, não tem problema algum com quem não gosta de política, a não ser, ser comandado por que gosta muito. Eu me envolvo profundamente com política não por “gostar”, mas porque é indispensável, necessário para se viver de forma lúcida e crítica. Lamento meu caro, vote na próxima eleição (espero que continuemos tendo esse poder), pelo menos para poder se colocar com mais propriedade. Lembrando, eles não se “instalaram” lá, foram eleitos quatro vezes seguidas pelo povo desse país! Todavia, política não é só nas urnas, política se faz no dia-a-dia, nas ruas, nos debates, no que vamos reproduzir ou não, em todo e qualquer lugar que estivermos. Para que saiba, não me ofendi. Não peço desculpa pela minha forma talvez dura de dizer, é necessária. Abraço.